Arquivo da categoria: Enciclopédia

5929 – Mega Byte – Cientistas desvendam segredos de ‘computador’ de 2 mil anos


Os segredos de um objeto considerado o computador mais antigo do mundo foram revelados com o uso de um equipamento de raio-X.
O mecanismo Antikythera, como é conhecido, tem cerca de 2 mil anos e foi encontrado em 1901 quando um grupo de mergulhadores chegou a um antigo navio romano naufragado na costa da Grécia.
O objeto tem o tamanho aproximado de um laptop moderno e, dentro dele, estão várias rodas de transmissão e engrenagens.
Ele teria sido usado para prever eclipses solares e, de acordo com descobertas recentes, o mecanismo também servia para calcular as datas de Olimpíadas na Grécia Antiga.
A equipe internacional de cientistas conseguiu juntar em um computador mais de 3 mil projeções de raios-X, montando uma imagem em 3D. Foi assim que os cientistas compreenderam o mecanismo.

5928 – Saúde – Sono ajuda na balança


Noites mal dormidas assim como a má alimentação e o sedentarismo podem levar as dietas ao fracasso.
Uma pesquisa feita por médicos da Universidade de Chicago demonstrou que em períodos de pouco sono a perda de gordura corporal é 55% menor e a perda de massa magra é 60% maior e perder músculo é um péssimo negócio. Dormir pouco favorece o efeito-sanfona, o grande problema de que faz dieta.

A grelina é produzida no estômago e conhecida como o hormônio da fome, tendo a função de avisar ao cérebro que é chegada a hora de comer. Problemas no sono aumentam a produção de grelina.

Leptina é sintetizada nas células adiposas, é o hormônio da saciedade. Os insones fabricam pouca leptina.
Cortisol é o hormônio associado ao stress e favorece o acúmulo de gordura abdominal e estimula a perda de massa magra.

GH – O maior pico da liberação do hormônio de crescimento ocorre durante o sono. Em adultos, tal substância ajuda na queima da gordura corporal e na manutenção da massa muscular.

5927 – Biologia – Mega expedição fez levantamento de espécies marinhas


Uma viagem que começou em 2009 e foi até 2012 produziu o mais detalhado levantamento global de seres marinhos. Microorganismos que produzem a metade do oxigênio da Terra pela fotossíntese e capturam 100 bilhões de toneladas de dióxido de carbono por ano, uma gás que acelera o aquecimento global.
A embarcação chamada Tara fugiu de piratas, enfrentou tempestades e escapou por pouco de colidir com 1 petroleiro em sua odisséia pelos oceanos. Os barcos modernos tem hoje cerca de 1/10 do peso das antigas embarcações feitas de madeira, com estruturas de fibra de vidro e alumínio. Com sistemas digitais como o GPS é possível saber a localização exata de um barco. Isso reduziu os riscos, como os da viagem do Beagle, que levou Charles Darwin à bordo e também da volta ao mundo da corveta a vapor Challenger, que descobriu 4700 espécies marinhas e fundou a oceanografia.

5926 – Como surgiu o Dia das Mães?


No inicio do século XX, uma jovem dos Estados Unidos sofria com a morte da sua mãe e resolveu fazer uma homenagem para eternizar o sentimento por ela.
Esta jovem desejou homenagear não só a sua mãe, mas para todas as mães do mundo sejam elas vivas ou mortas. Dentro da cidade em que a jovem morava todos seguiram este hábito, e não demorou muito para que todo o país estivesse comemorando o Dia das Mães.
No ano de 1914 foi decretado pelo presidente americano Thomas W. Wilson, o segundo domingo de maio como o dia das mães.
Após 4 anos, alguns estados do Brasil também já comemoravam o dia das mães, que foi decretado oficialmente em 1932 por Getúlio Vargas.

5924 – Brancos são mais inteligentes que negros?


Essa polêmica foi requentada com a declaração do biólogo americano James Watson, co-descobridor da estrutura do DNA e vencedor do Nobel de Medicina em 1962. Em outubro, Watson disse ao jornal britânico The Sunday Times que estava preocupado com o futuro da África, afirmando que “todos os testes de inteligência” negam a idéia de igualdade intelectual entre brancos e negros. Depois, o próprio cientista se desculpou, explicando que a idéia de superioridade branca não tem comprovação científica. Nisso ele acertou. Primeiro, porque a única coisa que pessoas da mesma cor de pele compartilham é a… cor da pele. Segundo, porque não há “o” gene da inteligência – na verdade, milhares deles interferem na formação da capacidade intelectual. E, terceiro, porque “não há nenhuma relação entre os genes responsáveis pela pigmentação da pele e os que formam o sistema nervoso central”, diz o médico-geneticista Sérgio Danilo Pena, da UFMG. No fim das contas, um negro africano pode ser geneticamente mais parecido com um branco norueguês que com seu vizinho, também negro. Por isso, a maioria dos cientistas defende que o conceito de “raça” (um grupo que compartilharia características físicas e composição genética) simplesmente não existe. Definir inteligência também é complicado: além do raciocínio lógico, há outras características, como a capacidade musical, que também podem ser consideradas como inteligência. Veja abaixo os passos da tensa relação entre ciência, raça e inteligência.

* Em 1758, o botânico Carolus Linnaeus dividiu em 4 raças a espécie humana: os vermelhos, “geniosos e despreocupados”; os amarelos, “severos e ambiciosos”; os negros, “ardilosos e irrefletidos”, e os brancos, “inteligentes e engenhosos”. Ele era branco…

* Em 1950, retomando uma idéia da Antiguidade greco-romana, a Unesco usa o conceito de etnia para classificar os homens com base em fatores comuns – ancestralidade, religião, cultura ou idioma – em vez de usar como base a aparência física, como os defensores da idéia de raça.

* Nos anos 50, com a descoberta das influências do ambiente na constituição pessoal, ganha força o conceito de população – um grupo que compartilha traços culturais, não importando a aparência física ou ancestralidade. É o critério mais aceito hoje.

* Nos anos 90, a Teoria da Evolução das Espécies ajuda os cientistas a descobrir que a maior produção de melanina, que dá o tom mais escuro à pele, é uma estratégia para o corpo armazenar substâncias em regiões de muita exposição à luz solar.

* Em 1913, o psicólogo Henry Goddard fez uma adaptação tendenciosa dos testes de QI para classificar 40% dos imigrantes americanos como mentalmente inferiores, rotulando-os de imbecis. Confrontado, ele admitiu a fraude anos mais tarde.

* Em 1981, o biólogo Stephen Jay Gould reafirmou a independência do desenvolvimento da cor da pele e da inteligência e desmontou a idéia de que todas as habilidades do ser humano têm origem genética.

* Na década de 1990, cientistas americanos descobrem que as pessoas mais ricas tendem a se sair melhor nos testes de QI. A conclusão: o teste era bom só para indicar que uma boa educação está relacionada às oportunidades propiciadas pelo nível econômico.

* Inventado no início do século passado, o teste de QI (quociente de inteligência) pretende medir a capacidade mental das pessoas. Mas os críticos dizem que ele só considera o raciocínio lógico- matemático, uma pequena parcela da inteligência.

* Criada na década de 1950, a Teoria das Habilidades Cognitivas diz que o homem tem 10 subtipos de inteligência, embora derivados de uma capacidade geral. É o primeiro ataque à noção de raciocínio lógico como sinônimo de inteligência.

Inteligências Múltiplas
No fim dos anos 80, o pesquisador americano Howard Gardner classificou a inteligência em 8 habilidades: lógico-matemática, lingüística, musical, físico-cinestésica, espacial, naturalista, existencial e

Inteligências pessoais.
Desenvolvida pelo psicólogo Daniel Goleman no fim dos anos 90, a Teoria da Inteligência Emocional usa testes para medir o quociente de inteligência emocional (QE). Os críticos argumentam que o QE só mede variações de personalidade.

5923 – Como os gatos sobrevivem a quedas altas?


Não tem mágica: os gatos precisam de um tempinho para entenderem que estão caindo e adotar uma postura que amorteça a queda. Isso gera um fato curioso: a probabilidade de eles se machucarem é maior quando a queda ocorre de alturas mais baixas! Uma pesquisa feita pelos veterinários americanos Cheryl Mehlhaff e Wayne Whitney, em 1987, confirmou essa tendência.
Durante 5 meses, eles catalogaram todas as quedas de gatos de edifícios de Nova York (foram 105, no total) e viram que o maior número de ferimentos e mortes aconteceu com os felinos que despencaram até do 7º andar. A explicação dos veterinários é que, quando percebem que estão chegando perto do solo, os gatos que caem de muito alto instintivamente relaxam a postura, aumentando a área do corpo que absorverá o impacto da queda do pobre felino.
Quando o gato começa a cair, bigodes e pêlos nas bochechas captam a posição de bicho no espaço.O cérebro recebe e processa esses dado
Em fração de segundo, o cérebro envia ordens aos músculos para que eles corrijam a postura do bicho, com as patas voltadas para o solo
Instintivamente, o gato adota uma postura defensiva, encolhendo o corpo. Isso faz com que ele atinja mais rápido a velocidade final de queda, de cerca de 100 km/h.
Ao atingir a velocidade final, o bichano relaxa e se estica, oferecendo maior resistência ao ar e freando o corpo. É como se ele virasse um pára-quedas e tivesse mais área para seus músculos, ligamentos e articulações absorverem o choque.

5922 – O Lado Politicamente Incorreto de Mandela


Ele ficou 27 anos preso por se opor ao regime do apartheid e após isso, se elegeu presidente da África do Sul. Entre uma cela de 2,5X2,5m e o palácio presidencial se criou o maior mito vivo da política mundial. Mas um livro lançado recentemente nos EUA mostrou um Mandela com as mesmas e pouco surpreendentes fraquezas humanas. Ele aparece agredindouma mulher durante uma briga, cultivando amantes e trapaceando en um curso superior por correspondência. Tal livro é um complemento a uma autobiografia lançada em 1995 e que já vendeu 6 milhões de exemplares. Ele diz em uma das frases “Não sei se é justificável alguém negligenciar a própria família em prol de estranhos. Será que a política, nesse caso, não é uma mera desculpa para se esquivar das responsabilidades?”, escreveu na prisão. Ele não queria ser presidente. Aos 76 anos, achava que estava velho demais para isso. Mas o cargo de líder de um país à beira da guerra civil o aguardava.

5921 – Vírus contra Vírus


Para vencer o inimigo, aja como ele. É com essa idéia que pesquisadores da Universidade da Pensilvânia (EUA) estão usando uma versão geneticamente modificada de HIV que atua como um míssil teleguiado antiaids programado para destruir seus pares. Por segurança, fizeram o teste em 5 portadores de HIV que não respondiam ao tratamento com os coquetéis antiaids de hoje. O HIV injetado nos pacientes recebeu genes que inibem a replicação do vírus. Durante os 9 meses de testes, só um dos infectados teve a carga viral reduzida significativamente. Nos outros, ou a quantidade de vírus diminuiu pouco ou continuou igual estava antes. Mesmo assim os pesquisadores comemoram. “O principal objetivo era comprovar que o tratamento é seguro. E isso foi demonstrado”, diz o patologista Carl D. June, um dos líderes da pesquisa. Agora os testes vão entrar em uma nova fase. O coquetel ainda é a forma mais eficiente de controlar a proliferação do vírus. Em compensação, as toxinas dele são tão prejudiciais que muitos infectados têm de suspender o tratamento para não debilitarem ainda mais seu sistemas imunológico. Por isso, os pesquisadores estão recrutando para o próximo teste um grupo de pacientes cuja carga viral esteja relativamente controlada. Se o tratamento for bem-sucedido, a expectativa é que ele sirva como uma alternativa mais saudável e eficiente para o controle do vírus. “Ainda temos um bocado de trabalho a fazer”, diz o pesquisador Bruce Levine, também da Universidade da Pensilvânia. E eles têm mesmo: os cientistas devem continuar acompanhando esses pacientes pelos próximos 15 anos.

5920 – Mega Polêmica – Cortar a sacolinha de plástico salva o planeta?


☻ Use sacola retornável

O problema desse material é ser fino demais para ser reciclado. O melhor é aproveitá-lo como saco de lixo doméstico, mas a maioria das sacolas vai sem escalas para o ambiente – onde, estima-se, demora uns 200 anos para se decompor. Entupindo as bocas-de-lobo, o saco pode causar enchentes e, quando chega ao oceano, é culpado pela morte de animais como baleias e tartarugas. Se o saco plástico é tão nocivo, por que o usamos? À medida que o homem ficou preocupado com a higiene, materiais descartáveis viraram obsessão da sociedade. E por custar pouco (até 80% menos que o papel pardo) o material ganhou a preferência dos comerciantes. Como a consciência ecológica é um fenômeno recente, só agora as leis restritivas começam a ganhar força. Isso não significa que o plástico vá sumir da sua vida. Afinal, ninguém vai querer misturar peixe com goiabada na sacola de compras de pano, uma das alternativas ecologicamente corretas.
Desde que alguns países da Europa começaram a taxar quem usa sacolas plásticas, é comum que as pessoas tragam sacolas de pano ou outro material de casa – ou coloquem as compras na mochila. Para recuperar esse hábito antigo, há alguns incentivos. Em Joinville (SC), por exemplo, desde 2004 os padeiros dão 10% de desconto no pão e no leite às pessoas que levarem uma sacola de casa.
Plástico oxibiodegradável
Em alguns países, é adicionado à fórmula do plástico um componente químico que faz com que ele seja absorvido pela natureza em 18 meses, em vez de centenas de anos. Parece bom, mas ainda não é tão barato, e a decomposição do plástico também libera gás carbônico na atmosfera, algo pouco desejável. Outra opção é o bioplástico vegetal (feito a partir de amido), também biodegradável. Mas o custo – cerca de 15 centavos por unidade – ainda faz os comerciantes fugir dele como o Diabo da cruz.
Em alguns lugares do mundo, apenas os papéis-filme mais finos, como o das sacolinhas de supermercado, estão sendo proibidos. O plástico mais grosso é permitido por ser reciclado com mais facilidade. A medida tem críticos, já que o plástico mais grosso também é mais caro.
No mundo:
Nos EUA, que usam 88 bilhões de sacolas por ano, é comum ouvir a pergunta “papel ou plástico?” Mas algumas cidades, como São Francisco, radicalizaram: só sacos de papel são distribuídos em supermercados e farmácias.
FRANÇA
Sacolas plásticas foram banidas em Paris e leis semelhantes devem vigorar em todo o país até 2010. O antigo hábito de levar carrinho de compras de casa já está virando moda de novo.
IRLANDA
O governo instituiu que o cliente deveria pagar uma taxa de 15 centavos de euro por sacola usada nas compras. O consumo caiu 90%. Quando ameaçou voltar, a taxa aumentou.
TAIWAN
Baniu não só sacolas plásticas mas também talheres, copos e pratos descartáveis, que os locais utilizam muito, já que costumam fazer suas refeições em carrinhos e quiosques na rua.
BRASIL
Cogita-se o uso de um plástico biodegradável. Em Santa Catarina há dois projetos de lei sobre o tema. Em São Paulo, o governo vetou, por crer que faltam pesquisas sobre o impacto do material.
ÁFRICA DO SUL
Há 4 anos, a sacola de supermercado, fina e difícil de reciclar, foi banida. A pena lá é pesada: o comerciante que fornecer essas sacolas paga multa de cerca de US$ 13 mil ou cumpre 10 anos de cadeia.
INGLATERRA
Enquanto nenhuma lei chega, a moda são as sacolas de compra de grife. Este ano, a estilista Anya Hindmarch lançou uma com a inscrição “Eu não sou uma sacola de plástico”. O produto se esgotou no primeiro dia de venda.
BANGLADESH
Depois de descobrir que o principal motivo das constantes enchentes na capital, Daca, era o entupimento dos bueiros por sacos de compras, uma lei, de 2002, baniu a fabricação e o uso das sacolas plásticas.
1 720 Dólares é o que custa a bolsa de compras de Louis Vuitton.
500 bilhões – número estimado de sacolas plásticas no mundo em 2006.
1 460 – Sacolas de compras uam família americana consome por ano.
18 – meses que demora para o plástico oxibiodegradável se decompor.

5919 – Tecnologias – Algumas colaram, outras não


TV por celular
O que é? – Existem dois tipos de TV por celular: on demand, em que você baixa um programa para o seu aparelho e assiste quando quiser, e a TV ao vivo, igual à que você vê naquele caixotão da sua casa. O serviço existe comercialmente desde 2005, quando foi lançado na Coréia do Sul.
No ano de 2007, a consultoria inglesa Juniper Research publicou um relatório afirmando que a TV por celular iria bombar na próxima década. Eles previam que seriam nada menos que 120 milhões de pessoas em 40 países, rendendo mais de US$ 6 bilhões de lucro.
Hoje em dia a TV por celular tem cerca de 7,5 milhões de usuários. Só não é mais popular por causa de dificuldades técnicas: poucos aparelhos suportam TV, cada operadora usa seu próprio padrão de transmissão (que funciona somente em alguns modelos de celulares) , e as baterias se esgotam rapidamente quando o usuário vê TV.

* O papel eletrônico é parecido com o papel comum porque não emite luz como as telas de computador. Isso torna a leitura bem mais confortável. E é diferente do papel comum porque seu conteúdo pode mudar inúmeras vezes. A tecnologia começou a ser desenvolvida nos anos 70.
Uma empresa canadense criou um papel eletrônico que funciona bem em cores, que eram um problema até então.
O maior obstáculo para o papel eletrônico são os custos. Hoje em dia já existem aparelhos leitores de e-books à venda, mas, apesar de usarem a tecnologia de papel eletrônico, são estruturas rígidas de plástico, como um notepad ou pda. E custam bem caro. Telas flexíveis, mais parecidas com o papel original, ainda não estão disponíveis para o público. Quando ele chegar às lojas, aí, sim, vai ser possível ler Crime e Castigo, de Dostoiévski, no ônibus – e sem ter que carregar aquele tijolão pesado pela rua.

* Carro voador
É isso mesmo, um carro que voa. Santos Dumont, há 100 anos, imaginava que um dia todo mundo ia ter um aviãozinho na garagem de casa. O canadense Paul Moller tem 70 anos, 40 dos quais passou tentando construir o Moller Skycar M400, um veículo que promete levar 4 pessoas para passear a dezenas de metros do chão a uma velocidade de 600 km/h.
A boa notícia é que, apesar das dificuldades, um modelo de carro voador acaba de ser lançado. A má notícia é que a performance dele fica abaixo das expectativas. O M200G, lançado pelo mesmo Paul Moller, voa a 3 metros de altura e alcança 80 km/h. É um belíssimo brinquedo.
Apesar de todos os milhões de dolares gastos, o aparelho dos sonhos de Paul Moller ainda não saiu do papel. As dificuldades para a criação (e a popularização) do carro voador não são apenas técnicas. Os órgãos reguladores de tráfego aéreo não gostam nada da idéia de termos milhares de carrinhos voadores pelos céus. E pilotados por motoristas de fim de semana.

5918 + Candidatos ao Ig-Nobel


Dieta do posto
Sabe como reduzir a obesidade de um país inteiro, e sem apelar para academias e saladinhas? Simples: basta aumentar o preço da gasolina. De acordo com um estudo da Universidade de Washington (EUA), o combustível barato foi responsável pelo aumento de 13% na taxa de obesidade entre os americanos, que passaram a usar o carro até pra ir à esquina, de 1979 a 2004.

Cuidado: strippers no cio
Cientistas da Universidade do Novo México (EUA) trocaram o laboratório por um lugar inusitado: a boate de strip-tease. Eles analisaram a gorjeta dos clientes, descobriram que as bailarinas ganham mais quando estão no período fértil e concluíram que os hormônios as fazem ser mais aplicadas na dança. Agora eles defendem que a espécie humana também tem cio.

Marrom bombom
Pastilhas marrons são as mais numerosas dentro de um saquinho de M&Ms, indica uma experiência feita em 100 embalagens por um consórcio de educação em informática que inclui a Universidade de Cambridge (Inglaterra) e a IBM.

5917 – Nutrição – Comer de 3 em 3 horas ajuda a emagrecer?


De fato, fracionar a alimentação ajuda a comer menos em cada refeição. Mas isso não garante metabolismo acelerado. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidências científicas de que esse procedimento diminua o risco de engordar. Ao contrário: a tendência é que você acabe perdendo o controle nas refeições intermediárias.
O segredo não está no intervalo entre uma refeição e outra, mas nas calorias daquilo que se come. E na força de vontade de quem pretende emagrecer, é lógico. “Fracionar as refeições e comer porções menores pode dar certo, sim, mas tudo depende do indivíduo e das decisões que ele toma.” Exemplo: ao decidir que vai comer porções menores de comida de 3 em 3 horas, você pode cair na boa e velha tentação dos salgadinhos. Nesse caso, pode esquecer – o ponteiro da sua balança jamais irá para baixo, só para cima.
Por outro lado, comer grandes porções poucas vezes ao dia também é má ideia.
Tal hábito traz consequências como o aumento do estômago e do intestino delgado, o que só contribui para o aumento de peso. O que se recomenda é comer menos e melhor, aliando cardápios saudáveis com atividade física.

5916 – Carne de frango é mais saudável que a de porco?


Um filé de frango grelhado tem, em média, 183 calorias, contra 131 de uma bisteca suína. A diferença é de surpreendentes 52 calorias. Isso significa que a bisteca suína, sempre considerada vilã, pode ser até 30% menos calórica.
Carne de porco é ótima fonte de proteínas e vitamina B1, que ajuda no metabolismo genético e no bom funcionamento do sistema nervoso. Entre ela e a carne de frango com pele, não tenha dúvida: a de porco é mais saudável. Mas tudo depende do corte. Um lombo suíno de 100 gramas, assado, tem mais calorias que uma coxa de galinha sem pele. E também é muito mais calórico que os cortes de carne bovina mais magra, como filé mignon.
Para sentir menos culpa na hora de comer carne (seja de frango, seja de porco ou de boi), prefira assá-la, cozinhá-la ou grelhá-la. A fritura em óleos vegetais ou gordura animal agrega ao alimento uma enorme quantidade de calorias. E descarte sempre aquela gordurinha da picanha. Ela até pode ser deliciosa, mas é uma bomba-relógio.
Veja e Compare:
Carne – Coxa de frango sem pele
Porção – Unidade grande
Preparo – Assada
Calorias – 66,55

Carne – Sobrecoxa de frango sem pele
Porção – Unidade grande
Preparo – Assada
Calorias – 114,95

Carne – Bisteca de porco
Porção – 100 gramas
Preparo – Grelhada
Calorias – 131,77

Carne – Bife de filé mignon
Porção – 100 gramas
Preparo – Grelhado
Calorias – 140

Carne – Coxa de frango com pele
Porção – Unidade grande
Preparo – Assada
Calorias – 161

Carne – Lombo de porco
Porção – 100 gramas
Preparo – Assado
Calorias – 181,30

Carne – Filé de frango
Porção – 100 gramas
Preparo – Grelhado
Calorias – 183,63

5915 – Livro – Um Homem ☻Mega-Arquivo


Capa do livro

É mais fácil expandir a memória de um computador que a do cérebro humano. Foi isso que motivou o pesquisador de 75 anos Gordon Bell, da Microsoft, a começar a registrar toda a sua vida em memória digital. A experiência agora virou livro: o recém-lançado Total Recall (“Lembrança Total”), coescrito por seu parceiro no projeto MyLifeBits, Jim Gemmel, e inédito no Brasil.
Para gravar 221 mil sites visitados, 156 mil e-mails, 56 mil fotos, 18 mil documentos, 2 mil ligações telefônicas e 7 mil músicas ouvidas, Bell rodeou seu corpo e sua vida com várias traquitanas – entre elas, uma câmera que ficou pendurada em seu pescoço o tempo todo e equipamentos biométricos que captavam o batimento cardíaco.
A principal sacada de Bell é que gravar tudo é moleza. O problema é encontrar o que está gravado. A solução foi misturar todos os dados em uma base única, indexando com descrições e tags. Assim, se Bell vai ao médico, consegue localizar facilmente o seu histórico cardíaco, por exemplo.
Ao mesmo tempo em que pode ajudar a diagnosticar uma doença, o projeto levanta questões éticas sobre a privacidade de Bell e das pessoas com quem se envolveu durante a pesquisa. Afinal, com o registro constante, fica mais difícil mentir, por exemplo, porque tudo está registrado e pode ser confirmado depois.
Mas o pesquisador não tem dúvida de que a experiência vale a pena. Afinal, sem ter a preocupação de memorizar tudo o que acontece, o homem estaria pronto para se dedicar àquilo que Bell crê ser a sua maior vocação: a criatividade.

5914 – Anticoncepcional não oral aumenta risco de trombose


Folha Ciência

Um novo estudo afirma que anticoncepcionais não orais, como adesivos e anéis vaginais, trazem risco de trombose venosa maior do que o da pílula.
A pesquisa foi publicada no periódico “British Medical Journal” e analisou dados de registros da Dinamarca envolvendo mais de 1,5 milhão de mulheres com idades entre 15 anos e 49 anos, acompanhadas de 2001 a 2010.
Segundo o estudo, o risco do adesivo hormonal é 2,5 vezes maior que o das pílulas de segunda geração (“antigas”), à base de levorgestrel. Já o anel vaginal apresenta um risco duas vezes maior.
Comparadas com mulheres da mesma idade que não usam métodos hormonais, aquelas que usavam o adesivo têm um risco oito vezes maior, enquanto que quem usava o anel vaginal apresenta um risco 6,5 vezes maior.
O risco dos métodos contraceptivos não orais, porém, ainda é mais baixo do que o das pílulas mais modernas contendo drospirenona, como Yaz e Yasmin.
Em 2011, a FDA (agência dos EUA que regula drogas) discutiu a segurança das novas pílulas e incluiu um risco maior em suas bulas.
Estudos anteriores registraram 30,8 casos de trombose por 100 mil mulheres que tomaram as pílulas mais modernas e 12,5 casos por 100 mil das usaram as antigas.
Segundo a pesquisa, o implante subcutâneo apresentou risco um pouco maior que o de mulheres que não usam anticoncepcionais hormonais. Já o DIU hormonal até diminuiu o risco, segundo os autores do estudo.
Isso se explica porque o implante usa apenas progesterona. Pílulas com apenas esse hormônio não aumentam o risco de trombose.
Mas, segundo o professor de ginecologia da Unicamp Carlos Alberto Petta, o risco absoluto de métodos hormonais ainda é muito baixo.
“Não é necessário alarme. Ainda são eventos raros que, em geral, acontecem em quem tem fatores de risco. Ninguém precisa correr para trocar de método.”
Já Gilberto Narchi Rabahie, cirurgião vascular do Hospital do Coração, faz uma ressalva. “O estudo não especifica os tipos de trombose, se são superficiais ou profundas, que são mais graves.”
Mas Petta diz que o estudo é importante por mostrar que outras vias de administração não têm risco menor do que a pílula, como se pensava.
Ele lembra ainda que mulheres hipertensas, obesas, com diabetes, varizes grossas, antecedentes familiares de trombose e fumantes acima de 35 anos têm risco aumentado. Por isso, um médico deve indicar os melhores métodos para cada paciente.
Segundo o médico, a pílula é usada por cerca de 40% das mulheres. Depois vêm as laqueaduras (com 35%). “Nos 25% restantes estão todos os outros métodos.”

5913 – Mega Memória Internacional – Um resgate que parou o mundo


Um bilhão de pessoas de olhos fixos na TV

Um mineiro de um grupo de 33 que estavam soterrados há 69 dias no Deserto do Atacama, no Chile era resgatado são e salvo. No tempo em que eles permaneceram isolados a 700 metros do profundidade, em condições extremamente insalubres, a sobrevivência dependia de uma complicada operação de resgate por meio de um túnel cavado por uma sonda semelhante às de prospecção de petróleo. A possibilidade da manobra fracassar era real e assustadora. Quando o 1° mineiro foi trazido à superfície era o indício de que a operação daria certo.
Começou com a descida de 6 socorristas para coordenar a operação dentro da mina. Á medida que os mineiros eram resgatados, a velocidade de descida e subida da cápsula se tornava mais alta.
Depois de uma rápida avaliação médica, o mineiro era colocado dentro da cápsula. Esta foi içada por um cabo de aço de 22 milímetros de espessura, movidos por um motor de 250 CV de potência. Comprimento de 1 km e suportando um deso de até 54 toneladas. O diâmetro do poço era de 66 centímetros e os 1°s 56 metros foram revestidos de tubos de aço. Váriosacessórios foram usados no resgate, incluindoum capecete com fones de ouvido e microfone e máscaras de oxigênio ligadas a tubos de ar com capacidade para 3 horas.
O mundo acompanhou os acontecimentos do Deserto do Atacama com entusiasmo equivalente ao que demonstra diante dos Reality Shows da TV. Emissoras especializadas em notícias permaneceram mais de 30 horas no ar, acompanhando os preparativos para o resgate. Uma arquibancada acomodava um exército de cinegrafistas e fotógrafos. Os personagens viveram numa corda bamba entre a vida e a morte. Nos primeiros dias após o desmoronamento que interrompia a única saída da mina de San José, parecia certo que a morte venceria. Alta temperatura, poeira, sem luz natural e umidade do ar na casa dos 85%, e ainda escassez de comida. A dieta era 2 colheres de atum enlatado, meio copo pequeno de leite e meia bolacha a cada 48 horas. A água para beber era retirada do sistema de resfriamento de máquinas de perfuração. A perda de peso média foi de 10 quilos. O último mineiro a ser resgatado saiu como um comandante de navio que salva a tripulação antes de pensar na própria pele.
Tais desmoronamentos de terra e rocha não são raros no Chile. A mina de San José, de onde se tiram ouro e cobre, é explorada há mais de 100 anos e não tem os recursos das construídas recentemente. O mais crucial deles é uma segunda saída para a superfície, além da principal. Em caso de desmoronamento, a mina pode se tornar uma arapuca. ele daveria estar fechada há muito tempo, mas quiseram raspar o fundo do tacho.

5912 – Derrubando mitos sobre longevidade


Pensamento positivo faz bem?
Uma investigação com 1500 participantes mostrou que os exremamente otimistas viveram menos que os céticos e pessimistas. A explicação talvez seja porque uma postura relaxada em relação ao presente e ao futuro seria o atalho para uma certeza: a de que nada de ruim irá acontecer. Daí, para uma série de estragos é meio caminho andado. Pessoas assim não tomam precauções, fumando, bebendo e com hobbies mais arriscados.

Exercícios
Listas de recomendações ou imposições não surtem efeito. O ideal é fazer uma atividade que dê satisfação de modo a manter a prática.

Tenha hobbies como jardinagem e culinária
Atividades charmosas e socialmente respeitadas tem proliferado como se fossem a solução de todos os problemas do mundo. São hobbies que mal não fazem, mas tampouco garantem uma saúde melhor.

Não trabalhe tão duro, tente relaxar
A recomendação é esquecer a aposentadoria se possível. O trabalho é benéfico se a pessoa estiver comprometida com o ofício. Que se dedicou e teve retorno e sucesso na carreira viveu mais.

Preocupação faz mal pra saúde
É o contrário. É benéfico ficar alerta e ser prudente.

Os bons morrem cedo, os maus morrem tarde
Tal afirmação não é real. Não passa de poesia e filosofia barata. Ao contrário, salvo exceções, os bons são capazes de discernir o que é errado, moldam melhor o seu destino, levam a vida com dignidade que os faz sentir bem e viver mais.

5911 – O Desenvolvimento da URSS


As repúblicas socialistas soviéticas autônomas foram criadas por importantes grupos de diferentes nacionalidades. Um grande crescimento populacional ocorreu em Moscou e Lenigrado, cidades onde se concentrou o processo inicial de industrialização da União Soviética. A Rússia se transformou de uma economia agrícola atrasada em um estado militarmente poderoso e intensamente industrializado, apenas superado pelos EUA. Isso aconteceu, todavia, as custas de um imenso sofrimento humano, intensificado pela invasão alemã.
A URSS englobe inúmeros grupos étnicos, bem como várias religiões, línguas e culturas. A maioria da população era de origem eslava, excluindo-se os russos e ucranianos que constituíam o 1º e o 2º maiores grupos nacionais. O russo era a língua oficial. Alguns grupos como os azerbaijanos, os armênios e os bálticos, buscavam não apenas manter suas origens, mas também estabelecer sua independência da URSS.
De 1985 a 1990, Gorbatchov ampliou as relações com a China e com o ocidente para garantir as condições externas necessárias à reconstrução. Suas medidas irritaram a velha guarda do partido e a oposição cristalizou-se após 1989. Em agosto de 1991 foi tentado um Golpe de Estado, que fracassou.

Um pouco +

A História da União Soviética começa com a Revolução de 1917 numa tentativa de implementar o comunismo em larga escala por Vladimir Lenin, até ao colapso da União Soviética em 1991, quando o seu governo centralizado foi dissolvido.

A União Soviética é tradicionalmente considerada o sucessor do Império Russo e da sua curta sucessora, o Governo Provisório sob Yevgenyevich Georgy Lvov e depois Alexander Kerensky. O último czar russo, Nicolau II, governou até março de 1917, quando o Império foi derrubado e um breve governo provisório russo tomou o poder, o último a ser derrubado em novembro de 1917 por Vladimir Lenin.

De 1917 a 1922, o antecessor de a União Soviética era a República Socialista Federativa Soviética Russa (RSFSR), que era um país independente, assim como outras repúblicas soviéticas na época. A União Soviética foi oficialmente criada em dezembro de 1922 como a união do Russo (coloquialmente conhecido como Rússia bolchevique), ucraniano, bielo-russo, e Transcaucásia, repúblicas soviéticas governadas por partidos bolcheviques.
A União Soviética existiu até 1991, quando todas as repúblicas soviéticas declaram a sua independência com relação ao governo centralizado de Moscou.

5910 – História – A Idade do Bronze


A Idade do Bronze é um período da civilização no qual ocorreu o desenvolvimento desta liga metálica, resultante da mistura de cobre com estanho. Iniciou-se no Oriente Médio em torno de 3300 a.C. substituindo o Calcolítico, embora noutras regiões esta última idade seja desconhecida e a do bronze tenha substituído diretamente o período neolítico (popularmente conhecida como Idade da Pedra). Na África negra, o neolítico é seguido da idade do ferro.
O termo “Idade do Bronze” é, em última análise, derivada das “Idades do Homem”, as fases da existência humana na Terra segundo a mitologia grega. Destes, a Idade de Ouro e a Idade da Prata são classificadas pelos historiadores modernos como míticas, mas a Idade do Bronze, bem como a Idade do Ferro são concebidos como tendo um núcleo de validade histórica. Todo o período é caracterizado pela adoção plena do bronze em muitas regiões, embora o local e a hora da introdução e desenvolvimento da tecnologia do bronze não é universalmente síncrona. Tecnologia de estanho e bronze feita pelo homem requerem um conjunto de técnicas de produção. O estanho deve ser extraído (principalmente como o minério de estanho cassiterita) e fundido separadamente, em seguida, adicionado ao cobre derretido para fazer a liga de bronze. A Idade do Bronze foi um período de uso intenso de metais e de redes de desenvolvimento do comércio.
A Idade do Bronze no antigo Oriente Próximo começou com a ascensão da Suméria no quarto milênio a.C. O Antigo Oriente Próximo é considerado por alguns como o berço da civilização e praticavam a agricultura intensiva durante todo o ano, desenvolveram um sistema de escrita, inventaram a roda do oleiro, criou um governo centralizado, códigos de leis e impérios, e introduziram a estratificação social, a escravidão e a guerra organizada. Sociedades na região estabeleceram as bases para a astronomia e matemática.
O final da Idade do Bronze ocorreu entre 1300-700 a.C., caracterizado pela incineração dos cadáveres, prática que continuou na Polónia até aos anos 500 a.C., já em plena Idade do Ferro, no período cultural Hallstatt (700-450 a.C.).

5909 – Armaduras da Idade Média protegiam as partes baixas?


Sim. Era o codpiece, que podia ser de metal ou de couro, segundo Bridget Clifford, responsável pelas coleções de armaduras da Torre de Londres. Mas, em montarias ou durante uma justa, o famoso duelo a cavalo, eles trocavam o codpiece por uma peça mais confortável: “Uma cota de malha (espécie de tecido metálico) mais ou menos como uma minissaia”. O codpiece era removível, o que facilitava para urinar. Afinal, até os heróis têm necessidades.

Um pouco +

Armadura – é uma vestimenta utilizada para proteção pessoal, originalmente de metal, usada por soldados, guerreiros e cavaleiros como uma forma de proteção às armas brancas durante uma batalha.
As armaduras leves geralmente não têm partes metálicas, e normalmente são compostas de varias camadas de couro e/ou acolchoamentos. Estas armaduras frequentemente eram infestadas de pulgas por acumular muito suor.
Elas não eram necessariamente leves, uma vez que couro e acolchoamentos não protegiam tão bem quanto aço, então, para protegerem bem, eram postas várias camadas, que as deixavam pesadas. São exemplos de armaduras leves: corsolete de couro, corselete de couro batido e gibão de peles.

Ao contrário do mito, armaduras não pararam de ser usadas com a invenção da pólvora, uma vez que armaduras de placas a longa distância paravam um tiro, e a curta distância poderiam diminuir o ferimento, cavalaria e infantaria pesada era usada em conjunto com armas de fogo, e o motivo que elas pararam de ser usadas, foi o custo de se equipar um exército com elas. Por volta de 1600 a 1610, ainda era utilizada pelos couraceiros, que gradualmente diminuiram a quantidade de peças da armadura até se chegar apenas a couraça da armadura, já por volta de 1750, sendo que esses militares da cavalaria somente deixaram a de usar durante a 1ª Guerra Mundial.